PREVALÊNCIA E FATORES ASSOCIADOS À HIPERTENSÃO ARTERIAL EM IDOSOS DE UM MUNICÍPIO DO INTERIOR DO NORDESTE BRASILEIRO

Resumo

No Brasil, dentre as Doenças Crônicas não Transmissíveis, a Hipertensão Arterial Sistêmica (HAS) destaca-se pelo elevado número de casos diagnosticados. Para tanto, objetivou-se estimar a prevalência de HAS e fatores associados em idosos de Canindé, Ceará. Trata-se de um estudo quantitativo de base populacional com 372 idosos. Aplicaram-se questionário de caracterização e o International Physical Activity Questionnaire, analisados no SPSS 16.0. A prevalência de HAS foi de 46,2% da população. Dentre os hipertensos, apenas 1,2% não aderiu ao tratamento medicamentoso. Observaram-se diferenças estatisticamente significantes entre hipertensão e faixa etária (p=0,004), aposentadoria (p=0,000), consulta e internação no último ano (p=0,000), nível de atividade física (p=0,008), obesidade (p=0,031) e diabetes (p=0,001). Na análise multivariada ajustada, os idosos obesos tiveram 5,603 vezes mais chances de serem hipertensos, os diabéticos 1,876 e os inativos 2,067. Aqueles que apresentaram frequência >4 vezes de consultas e internações no último ano tiveram 2,854 mais chances de terem esse diagnóstico. Embora não se comprove uma relação de causalidade, os resultados encontrados e a associação entre as variáveis apontam a necessidade do empoderamento da população para uma boa adesão ao tratamento, além das iniciativas de prevenção, investimentos em saúde e difusão de políticas públicas.

Biografia do Autor

Déborah Santana Pereira, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará - IFCE Campus Juazeiro do Norte
Graduação em Educação Física (IFCE Campus Juazeiro do Norte). Especialização em Fisiologia do Exercício (FIP). Mestrado em Saúde Coletiva (UNIFOR). Cursando Doutorado em Saúde Coletiva (UECE). Docente do Curso de Licenciatura em Educação Física do IFCE Campus Juazeiro do Norte. 
Lívia Lopes Custódio, Universidade Estadual do Ceará – UECE
Psicóloga. Doutoranda pelo Programa de Pós-Graduação em Saúde Coletiva – PPSAC da Universidade Estadual do Ceará – UECE. Fortaleza-Ceará-Brasil.
Ilvana Lima Verde Gomes, Universidade Estadual do Ceará – UECE
Enfermeira. Docente do Programa de Pós-Graduação em Saúde Coletiva – PPSAC da Universidade Estadual do Ceará – UECE. Pós - Doutora em Ciências da Saúde – Universidade Estadual do Ceará - UECE, Fortaleza-Ceará-Brasil.
Thereza Maria Magalhães Moreira, Universidade Estadual do Ceará – UECE
Enfermeira. Docente do Programa de Pós-Graduação em Saúde Coletiva – PPSAC da Universidade Estadual do Ceará – UECE. Pesquisadora CNPq 1A. Pós Doutora em Saúde Pública pela Universidade de São Paulo-USP. Fortaleza-Ceará-Brasil.

Referências

Allen M.; Kelly K.; Fleming I. Hypertension in elderly patients recommended systolic targets are not evidence based. Canadian family physician Medecin de famille canadien. V. 59, n. 1, p. 19–24, 2013. Disponível em: < https://www.cfp.ca/content/59/1/19.short> Acesso em: 08 de outubro de 2019.

Asekun-Olarinmoye E. O. et al. Prevalence of hypertension in the rural adult population of Osun State, southwestern Nigeria. Int J Gen Med.v.6, n.3, p. 17-22; 2013. 2013 [acesso em 2013 Jul 10];59:19-21. Disponível em: < https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC3639715/> Acesso em: 08 de outubro de 2019.

Barros, G. G. M. et al. Transição nutricional e sua relação com a prevalência de hipertensão arterial em índios brasileiros. Revista Diálogos Acadêmicos, v. 7, n. 2, 2019. Disponível em: < http://revista.fametro.com.br/index.php/RDA/article/view/187> Acesso em: 08 de outubro de 2019.

Brasil. Conselho Nacional de Saúde. Diretrizes e normas regulamentadoras de pesquisas envolvendo seres humanos. Resolução nº 466/2012, (13, junho 2013). Disponível em: <http://conselho.saude.gov.br/resolucoes/2012/Reso466.pdf.> Acesso em: 24 de março de 2018.

Cassoni, T.C.J. et al. Uso de medicamentos potencialmente inapropriados por idosos do Município de São Paulo, Brasil: Estudo SABE. Cadernos de Saúde Pública, v. 30, p. 1708-1720, 2014. Disponível em: < https://www.scielosp.org/scielo.php?pid=S0102-311X2014000901708&script=sci_arttext&tlng=en> Acesso em: 08 de outubro de 2019.

Ceará. Instituto de Pesquisa e Estratégia Econômica do Ceará – IPECE 2015. Indicadores sociais do Ceará. Secretaria do Planejamento e Gestão, Fortaleza, p. 92, 2017. Disponível em: <http://www.ipece.ce.gov.br/estudos_sociais/sintese_indicadores_sociais/Indicadores_sociais_ceara_2015.pdf> Acesso em: 29 de agosto de 2018.

Ceará. Instituto de Pesquisa e Estratégia Econômica do Ceará – IPECE 2015. Perfil municipal: Canindé. Secretaria do Planejamento e Gestão, Fortaleza, p. 92, 2017b. Disponível em: <https://www.ipece.ce.gov.br/perfil-municipal-2017/> Acesso em: 08 de outubro de 2019.

Doro, M.R. et al. Higher levels of physical activity reduce spending on medicines in the elderly. J Phys Educ Sport, v.18, n.1, p.157-162, 2018. Disponível em: <https://www.researchgate.net/profile/Andre_Fukushima/publication/324216142_Original_Article_Higher_levels_of_physical_activity_reduce_spending_on_medicines_in_the_elderly/links/5ac52f9b0f7e9b1067d4bed6/Original-Article-Higher-levels-of-physical-activity-reduce-spending-on-medicines-in-the-elderly.pdf> Acesso em: 08 de outubro de 2019.

Esperandio, Eliane Maria et al . Prevalência e fatores associados à hipertensão arterial em idosos de municípios da Amazônia Legal, MT. Rev. bras. geriatr. gerontol., Rio de Janeiro , v. 16, n. 3, p. 481-493, Sept. 2013. Disponível em: < https://www.redalyc.org/pdf/4038/403838813007.pdf> Acesso em: 08 de outubro de 2019.

Gao Y. et al. Prevalence of hypertension in China: a cross-sectional study. PLoS ONE.v. 8, n.6, p.1-8; 2013. Disponível em: <https://journals.plos.org/plosone/article?id=10.1371/journal.pone.0065938> Acesso em: 08 de outubro de 2019.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE. Pesquisa Nacional de Saúde. Diretoria de pesquisas, Coordenação de Trabalho e Rendimento, 2013. Disponível em: <https://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/livros/liv94074.pdf> Acesso em: 08 de outubro de 2019.

Lobo, L. A. C. et al. Tendência temporal da prevalência de hipertensão arterial sistêmica no Brasil. Cadernos de Saúde Pública, v. 33, p. e00035316, 2017. Disponível em: <https://www.scielosp.org/scielo.php?pid=S0102-311X2017000705003&script=sci_arttext&tlng=en> Acesso em: 08 de outubro de 2019.

Malachias, S. et al. 7ª Diretriz Brasileira de Hipertensão Arterial: Arquivo Brasileiro Cardiologia 3. ed. Rio de Janeiro: Sociedade Brasileira de Cardiologia, 2016. p.103. v. 107. Acesso em: <http://publicacoes.cardiol.br/2014/diretrizes/2016/05_HIPERTENSAO_ARTERIAL.pdf> Acesso em: 08 de outubro de 2019.

Menezes, Tarciana Nobre et al. Prevalência e controle da hipertensão arterial em idosos: um estudo populacional. Revista Portuguesa de Saúde Pública, v. 34, n. 2, p. 117-124, 2016. Disponível em: <https://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S0870902516300062> Acesso em: 08 de outubro de 2019.

Oliveira, A. K. A; Pereira, M. H. Q. Investigação da relação entre insegurança alimentar e hipertensão arterial sistêmica em idosos residentes no município de Barreiras/Ba. Pesquisare-A Revista Eletrônica da UFOB, v. 3, n. 1, p. 53-53, 2019. Disponível em: <https://revistas.ufob.edu.br/index.php/pesquisare/article/view/539> Acesso em: 08 de outubro de 2019.

Pereira, D.S. et al. Percepção de ambiente e nível de atividade física em idosos do Nordeste Brasileiro. Coleção Pesquisa em Educação Física. v.18, n.3, p.83-91, 2019. Disponível em: <https://www.fontouraeditora.com.br/periodico/home/viewArticle/1431> Acesso em: 08 de outubro de 2019.

PICCINI, R. X.; et al. Promoção, prevenção e cuidado da hipertensão arterial no Brasil. Rev. Saúde Pública, São Paulo, v. 46, n. 3, p. 543-550, 2012. Disponível em: <https://www.scielosp.org/scielo.php?pid=S0034-89102012000300017&script=sci_abstract> Acesso em: 08 de outubro de 2019.

Rodrigues, M., Santana, L., & Galvão, I. (2017). Fatores de risco modificáveis e não modificáveis do AVC isquêmico: uma abordagem descritiva. Revista De Medicina, 96(3), 187-192. Disponível em: < http://www.periodicos.usp.br/revistadc/article/view/123442> Acesso em: 08 de outubro de 2019.

Rondon, M.; Brum, P. C. Exercício físico como tratamento não farmacológico da hipertensão arterial. RevBrasHipertens, v. 10, n. 2, p. 134-9, 2003. Disponível em <http://departamentos.cardiol.br/dha/revista/10-2/exercicio3.pdf> Acesso em: 08 de outubro de 2019.

Santimaria, M.R. et al . Falha no diagnóstico e no tratamento medicamentoso da hipertensão arterial em idosos brasileiros – Estudo FIBRA. Ciênc. saúde coletiva, Rio de Janeiro , v. 24, n. 10, p. 3733-3742, Oct. 2019. Disponível em: < http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1413-81232019001003733&script=sci_arttext&tlng=pt> Acesso em: 08 de outubro de 2019.

Schmidt M.I., et.al. Doenças crônicas não transmissíveis no Brasil: carga e desafios atuais: The Lancet [online], p. 61-74, 2011. Disponível em: http://download.thelancet.com/flatcontentassets/pdfs/brazil/brazilpor4.pdf.> Acesso em 27 de fevereiro de 2019.

Silveira E.A.; Vieira L.L., Souza J.D.. Elevada prevalência de obesidade abdominal em idosos e associação com diabetes, hipertensão e doenças respiratórias. Ciência & Saúde Coletiva, 23(1): p. 903-912, 2018. Disponível em: < https://www.scielosp.org/article/csc/2018.v23n3/903-912/> Acesso em: 08 de outubro de 2019.

Sociedade Brasileira de Cardiologia. 7ª Diretriz Brasileira de Hipertensão Arterial. Arquivos Brasileiros de Cardiologia. v. 107, nº 3, Suple. 3, Set., 2016. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/abc/v107n3s3/pt_0066-782X-abc-107-03-s3- 0000.pdf> Acesso em: 05 de maio de 2017.

Sousa, A. L. L. et al. Prevalência, tratamento e controle da hipertensão arterial em idosos de uma capital brasileira. Arq Bras Cardiol, v. 112, n. 3, p. 271-278, 2019. Disponível em: <http://publicacoes.cardiol.br/portal/abc/portugues/2019/v11203/pdf/11203012.pdf> Acesso em: 08 de outubro de 2019.

Vargas, B. D.et al. Obesidade, Diabetes e Hipertensão Associados ao Desenvolvimento de Dano Renal e Redução na Qualidade de Vida. Revista Saúde Integrada, v. 9, n. 18, p. 2-13, 2016. Disponível em: <http://local.cnecsan.edu.br/revistas/index.php/saude/article/view/449> Acesso em: 08 de outubro de 2019.

Publicado
2020-01-16
Seção
CIências da Saúde