QUESTÕES BÁSICAS NA FORMAÇÃO DOCENTE DO PEDAGOGO E A AFETIVIDADE NA SALA DE AULA

  • Luciana Viana Nobre Universidade Estadual Vale do Acaraú - UVA
  • Cleidimar Rodrigues de Sousa Lima UNIVERSIDADE ESTADUAL VALE DO ACARAÚ-UVA

Resumo

RESUMO: Este artigo tem como objetivo compreender a importância da afetividade para a melhoria do processo de ensino-aprendizagem. É desenvolvido um estudo, por meio da pesquisa bibliográfica, sobre a afetividade em sala de aula no contato entre professor e alunos, e os mecanismos que auxiliam o docente a trabalhar sua prática para obter êxito no processo educativo. Percebe-se que a educação não se baseia apenas na compreensão de conteúdos e critérios avaliativos, a educação vai além e se realiza na interação entre os indivíduos que fazem parte dela. A afetividade está intimamente ligada a emoções que afetam os indivíduos, levando em consideração sua importância para o desenvolvimento humano expandindo-se no âmbito cognitivo. Considerou-se neste estudo que o pedagogo tem o papel de incluir em sua prática subsídios que atendam às aspirações dos alunos, estimulando-os na construção do conhecimento em uma perspectiva afetuosa e inclusiva, superando as adversidades. Concluímos, então, que quando este profissional trabalha em parceria com os discentes na realização do trabalho pedagógico em uma perspectiva fraterna é obtido o êxito no processo de ensino-aprendizagem, por meio das vivências que compartilham. Recorremos como suportes basilares NUNES (2011), LEITE (2012), PÉREZ-GÓMEZ (2000), MAGALHÃES (2011), dentre outros autores que intercalam a afetividade nas relações humanas.

 

PALAVRAS-CHAVE: Afetividade, Aprendizagem, Pedagogo, Professor-aluno.

Biografia do Autor

Luciana Viana Nobre, Universidade Estadual Vale do Acaraú - UVA
Curso de Pedagogia
Cleidimar Rodrigues de Sousa Lima, UNIVERSIDADE ESTADUAL VALE DO ACARAÚ-UVA
Professora Orientadora na Universidade Estadual Vale do Acaraú – UVA. Professora Efetiva do Curso de Pedagogia da Universidade Estadual Vale do Acaraú – UVA.

Referências

La Taille, Y.; Oliveira, M. K.; Dantas, H. Piaget, Vigotsky, Wallon: teorias psicogenéticas em discussão. São Paulo: Summus, 1992.

Leite, S. A. S. Afetividade nas práticas pedagógicas. Temas em Psicologia. v 20, nº 2, p 355-368, 2012. Disponível em: <http://pepsic.bvsalud.org/pdf/tp/v20n2/v20n2a06.pdf>. Acesso em: 03 de Julho de 2017.

Lima, T. C. S.; Mioto, R. C. T. Procedimentos metodológicos na construção do conhecimento científico: a pesquisa bibliográfica. Revista. Katálysis. Florianópolis v 10, 2007. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1414-49802007000300004>. Acesso em: 02 de fevereiro de 2017.

Magalhães, S. M. O. Afetar e sensibilizar na Educação: uma proposta transdisciplinar. Linhas Críticas, Brasília, DF, v 17, n 32, p 163-181, jan./abr. 2011.

Moraes, V. L. C.; Rubio, J. A. S. Cognição e afeto se entrelaçam no processo de ensino e aprendizagem. Revista Eletrônica Saberes da Educação, v 3, n 1, 2012.

Nunes, I. C. A formação da identidade profissional do professor de matemática. 2011. Disponível em: <http://www.uniedu.sed.sc.gov.br/wp-content/uploads/2013/10/Ione-Cargnin-Nunes.pdf> Acesso em: 30 de Junho de 2017.

PARÂMETROS CURRICULARES NACIONAIS. Brasil. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais: introdução aos parâmetros curriculares nacionais/ Secretaria de Educação Fundamental. – Brasília: MEC/SEF, 1997. 126p. 1. Parâmetros curriculares nacionais. 2. Ensino de primeira à quarta série. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/livro01>. Acesso em: 03 de Julho de 2017.

Pérez-Gomes, A. I. Ensino para a compreensão. In: Sacristán, J. G.; Pérez-Gomes, A. I. Compreender e transformar o ensino. Porto Alegre: Artmed, 2000. La cultura escolar em la sociedade neoliberal. Madrid: Morata, 2000.

Santos, F. M. A importância da afetividade no processo de ensino e aprendizagem como mediadora da práxis educativa no Ensino Superior. Revista UNI Imperatriz. Maranhão. ano 2, n 2, Janeiro/Julho,2012. p.111-122.

Silva, A. C.; Santos, R. M. RELAÇÃO PROFESSOR ALUNO: Uma reflexão dos problemas educacionais. Belém – Pará, 2002. Disponível em:< http://ltc-ead.nutes.ufrj.br/constructore/objetos/relacao_professor_aluno.pdf>. Acesso em 30 de Junho de 2017.

Publicado
2018-12-31
Seção
Ciências da Educação