ALTERAÇÕES DA TAXA SELIC NO PERÍODO DE 2004-2015 E SUA INFLUÊNCIA NO CENÁRIO ECONÔMICO DO SETOR PRIVADO

  • Kaliny Pessoa Lima Universidade Estadual Vale do Acaraú, UVA
  • Naralidy Lima dos Anjos Universidade Estadual Vale do Acaraú, UVA

Resumo

O estudo teve como objetivo demonstrar o comportamento das variáveis, PIB, IPCA e Selic no Brasil, durante o ano de 2004 ao primeiro trimestre de 2015 e quais os impactos causados por essas variações, principalmente no cenário econômico do setor privado devido à alta dos juros. Para tal, foi utilizada pesquisa de cunho bibliográfico de autores como Costa Filho e Rocha (2010), Cruz (2012), Trevisan (2015), assim como os dados retirados de sítios eletrônicos como IPEA data e BACEN no mesmo período em estudo, quando esses dados foram cruzados e analisados. Diante dos resultados conclui-se que a taxa Selic funciona como mediadora que pode impulsionar o setor privado ou desestimulá-lo. Se ela estiver em alta, o comércio retrai e o governo consegue controlar a inflação; se está em baixa, o consumidor tende a comprar mais e o comércio aquece novamente.

Biografia do Autor

Kaliny Pessoa Lima, Universidade Estadual Vale do Acaraú, UVA
Economista e Mestre em Economia pela Universidade Federal do Ceará - UFC. Pro-reitora Adjunta de Administração da Universidade Estadual Vale do Acaraú – UVA.
Naralidy Lima dos Anjos, Universidade Estadual Vale do Acaraú, UVA
Administradora e Especialista em Gestão Financeira pela Universidade Estadual Vale do Acaraú – UVA

Referências

ALVARENGA, Darlan. Taxa básica de juros deve ter 7ª alta consecutiva nesta quarta. Disponível em: <http://g1.globo.com/economia/noticia/2015/07/taxa-basica-de-juros-deve-ter-7-alta-consecutiva-nesta-quarta.html> Acesso em: 03 set. 2015.

BANCO Central do Brasil. Conceito. Disponível em: <http://www.bcb.gov.br/htms/selic/conceito_taxaselic.asp. >Acesso em: 20 jul. 2015.

BANCO Central do Brasil. Histórico das taxas de juros. 2011. Disponível em:< http://www.bcb.gov.br/Pec/Copom/Port/taxaSelic.asp. >Acesso em: 08set. 2015.

BARBOSA, Fernando de Holanda. O banco central no governo Lula. Economia e Tecnologia, Ano VII, volume especial, 2011. Disponível em: <http://www.economiaetecnologia.ufpr.br/revista/Especial%20Capa/Fernando%20de%20Holanda%20Barbosa.pdf>. Acesso em: 22 jul. 2015

BRASIL. IPEA – Instituto de Pesquisa Aplicada. Apresenta dados do Produto Interno Brutodo Brasil, dos seus estados e municípios. Disponível em: <http://www.ipeadata.gov.br/>. Acesso em 09 set. 2015.

BRASIL. IPEA – Instituto de Pesquisa Aplicada. Apresenta dados do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA). Disponível em: <http://www.ipeadata.gov.br/>. Acesso em 09 set. 2015.

BRASIL. Banco Central do Brasil. Relatório de inflação. v. 17, n.2, Brasília, jun/2015.

CAETANO, Sidney Martins; et AL. Abordagem discreta para a dinâmica da taxa selic-meta. Economia Aplicada, v. 15, n. 2, p. 199-221, 2011.

CALDAS, Cadu. Entenda como a alta do juro impacta a economia e o cotidiano. Disponível em: < http://zh.clicrbs.com.br/rs/noticias/noticia/2015/06/entenda-como-a-alta-do-juro-impacta-a-economia-e-o-cotidiano-4774797.html> Acesso em: 21 jul. 2015

Costa Filho, A. E. & Rocha, F. Comunicação e política monetária no Brasil, Revista Brasileira de Economia, Rio de Janeiro, v. 63, n. 4, p.405-422, out. / dez. 2009.

COSTAS, Ruth. Por que o Brasil parou de crescer? Disponível em: < http://www.bbc.com/portuguese/noticias/2014/09/140905_brasil_parou_entenda_ru> Acesso em: 21 jul. 2015

CRUZ, Adriana Inhudes Gonçalves da; et AL. A economia brasileira: conquistas dos últimos 10 anos e perspectivas para o futuro. Disponível em: <https://web.bndes.gov.br/bib/jspui/bitstream/1408/961/4/A%20economia%20brasileira-conquistas%20dos%20ultimos%20dez%20anos%20_P-final_BD.pdf>. Acesso em: 20 jul. 2015.

MARTELLO, Alexandro. BC sobe juro para 14,25% ao ano e indica manutenção no futuro. Disponível em: <http://g1.globo.com/economia/noticia/2015/07/na-7-alta-seguida-juro-sobe-para-1425-ao-ano-maior-nivel-desde-2006.html> Acesso em: 30 ago. 2015.

MARTINEZ, Thiago Sevilhano; CERQUEIRA, Vinícius dos Santos. Estrutura da inflação brasileira: determinantes e desagregação do IPCA. Economia e Sociedade, Campinas, v. 22, n. 2, p. 409-456, ago. 2013.

MARQUES, Rosa Maria; FERREIRA, Mariana Ribeiro Jansen; Boyadjian (et al.). O Brasil sob nova ordem. São Paulo: Saraiva, 2010.

MOURA, M. C.; ET AL. Uma perspectiva dos impactos da taxa selic na atual política monetária brasileira. Disponível em:<http://cti.ufpel.edu.br/siepe/arquivos/2013/SA_02021.pdf>. Acesso em: 30 ago. 2015.

RIBEIRO, Alessandra; TELES, Vladimir. Taxa natural de juros no Brasil. Escola de economia de São Paulo. Disponível em:< http://www.anpec.org.br/revista/aprovados/Natural.pdf>. Acesso em: 30 ago. 2015.

SÁ, Analice Erthal Corrêa de. IPCA - Análise comparativa do DF com o índice nacional no período jan-set/ 2013. Disponível em: < http://portalrevistas.ucb.br/index.php/CEN/article/viewFile/4909/3085> Acesso em: 25 jul. 2015.

SICSU, João. Expectativas inflacionárias no regime de metas de inflação: uma análise preliminar do caso brasileiro. Economia Aplicada, v.6, n.4, 2002. Disponível em: <http://ww2.ie.ufrj.br/moeda/pdfs/expectativas_inflacionarias_no_regime.pdf >. Acesso em: 25 jul. 2015.

SILVA, Mariana Pacheco da. A Teoria da Inflação Inercial. Leituras de Economia Política, Campinas, p. 108-129, ago. / dez. 2008.

OLIVEIRA, F. N.; COSTA, A. R. R. Os impactos das mudanças inesperadas da SELIC no mercado acionário brasileiro. Brazilian Business Review, v. 10, n. 3, p. 54-84, 2013.

Tabata, A. & Tabak, B. M. Testando o conteúdo informacional das decisões de política monetária. Pesquisa e Planejamento Econômico. 207250. Disponível em:<http://ppe.ipea.gov.br/index.php/ppe/article/viewFile/68/42>. Acesso em: 21 jul. 2015.

IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Disponível em <http://www.ibge.gov>. Acesso em: 29 agos. 2015.

TREVISAN, Karina. Só 9 países terão pior resultado do PIB que o Brasil em 2015, estima FMI. Disponível em: < http://g1.globo.com/economia/noticia/2015/05/so-9-paises-terao-pior-resultado-do-pib-que-o-brasil-em-2015-estima-fmi.html> Acesso em: 21 jul. 2015.

WERNER, Alejandro. 2015 é um ano de ajuste no Brasil, diz FMI. Disponível em: <http://exame.abril.com.br/economia/noticias/2015-e-ano-de-ajuste-no-brasil-diz-fmi > Acesso em: 21 jul. 2015.

Publicado
2017-08-01
Seção
Ciências Sociais e Aplicadas