A RELAÇÃO INTERPESSOAL ENTRE PROFISSIONAIS DA ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA

  • Suzana Mara Cordeiro Eloia Universidade Federal do Ceará https://orcid.org/0000-0003-3216-159X
  • Rafaella Marques Vieira Prefeitura Municipal de Ubajara
  • Sara Cordeiro Eloia Universidade Federal do Ceará
Palavras-chave: Atenção Primária à Saúde. Relações interpessoais. Comunicação. Ambiente de trabalho.

Resumo

O estudo relata uma experiência com o desenvolvimento de oficinas educativas acerca das relações interpessoais no ambiente de trabalho. Trata-se de um relato de experiência de enfermeiras ao utilizar o referencial da pedagogia crítica e libertadora de Paulo Freire para desenvolver oficinas educativas com profissionais da Estratégia de Saúde da Família de um município do interior do Estado do Ceará. A intervenção desenvolvida contribuiu para o autoconhecimento nas relações interpessoais, a importância do trabalho em equipe e sensibilizou para a geração de mudanças nos relacionamentos. Revelou que uma comunicação correta e a troca de saberes entre os profissionais viabiliza a construção de relações harmoniosas e satisfação mútua no âmbito profissional. Considera-se estratégia viável e de baixo custo ao favorecer condições para a percepção das vulnerabilidades existentes nas relações interpessoais, criação de um vínculo efetivo e mudanças para estabelecer uma relação prazerosa na vivência em grupo. Este estudo pode subsidiar novas investigações que contribuam para análise sobre as relações interpessoais entre profissionais da saúde.

 

Biografia do Autor

Rafaella Marques Vieira, Prefeitura Municipal de Ubajara

Enfermeira. Especialista em Microplítica pela Universidade Federal Fluminense (UFF). Coordenadora da Vigilância Epidemiológica do Município de Ubajara

Sara Cordeiro Eloia, Universidade Federal do Ceará

Enfermeira. Doutoranda em Enfermagem pela Universidade Federal do Ceará (UFC). Docente  do Curso de Enfermagem do Centro Universitário INTA

Referências

Almeida, M.C.P.; Mishima, S.M. O desafio do trabalho em equipe na atenção à Saúde da Família: construindo “novas autonomias” no trabalho. Interface - Comunicação, Saúde, Educação, v. 9, p.150-153, 2001.

Araújo, M.B.S.; Rocha, P.M. Trabalho em equipe: um desafio para a consolidação da estratégia de saúde da família. Ciência e Saúde Coletiva, v. 12, n. 2, p.455-464, 2007.

Backes, D.S; et al. O processo de humanização do ambiente hospitalar centrado no trabalhador. Revista da Escola de Enfermagem da USP, v. 40, n. 2, p. 221-227, 2006.

Brasil, R.W.N; Magalhães, J.F; Ximenes Neto, F.R.G. Análise das contribuições do método da roda no gerenciamento de um Centro de Saúde da Família. RAS, v. 14, n.54, p.27-36, 2012.

Duffield, C; et al. The impact of hospital structure and restructuring on the nursing workforce. Jornaul of Advanced Nursing, v.24, n.4, p. 42-46, 2007.

Fernandes, J.D; et al. Relações interpessoais no contexto organizacional: representações sociais de profissionais da saúde. Revista Rene, v.1, n.1, p. 68-75, 2000.

Franco, T.B; Merhy, E.E. PSF: Contradições de um programa destinado a mudanças de um modelo tecno-assistencial. Campinas (SP): UNICAMP; 1998.

Freire, P. Educação como prática da liberdade. 23ª ed. Rio de Janeiro (RJ): Paz e Terra; 1999.

Hoga, L.A.K. A dimensão subjetiva do profissional na humanização da assistência à saúde: uma reflexão. Revista da Escola de Enfermagem da USP, v. 38, n. 1, 2004.

Honneth, A. Luta por reconhecimento: a gramática moral dos conflitos sociais. São Paulo (SP): Editora 34; 2003.

Luft, J; Ingham, H. The Johari window: a grafic model for interpersonal relations. University California Western Training Laboratory, 1955.

Moscovici, F. Desenvolvimento interpessoal: treinamento de grupo. Rio de Janeiro (RJ): José Olympio, 2001.

Motta, R.P. Desempenho em equipes de saúde: manual. Rio de Janeiro (RJ): Editora FGV; 2001.

Paim, J.S; Almeida Filho, N. A crise na saúde pública e utopia da saúde coletiva. Salvador (BA): Casa da Qualidade, 2000.

Pando, M.M; et al. El síndrome del burnout em los trabajadores de la salud. Salud y Trabajo, v. 1, n.1, p.12-15, 2000.

Peduzzi, M. Equipe multiprofissional de saúde: a interface entre o trabalho e interação [tese]. Campinas (SP): Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Ciências Médicas, 1998.

Pires, D. Reestruturação produtiva e consequências para o trabalho em saúde. Revista Brasileira de Enfermagem, v.53, n.2, p. 251-263, 2000.

Publicado
2019-07-02
Seção
Ciências da Saúde (Ênfase em Enfermagem)