ATIVIDADE DE EXTRATOS VEGETAIS NO CONTROLE DE Fusariumpallidoroseum (Cooke) Sacc EM MELOEIRO

  • Ingrid Bernardo Lima Coutinho Universidade Federal do Ceará, UFC
  • Paulo Roberto Gagliard Universidade Federal de Sergipe, UFS
  • Marcio Akio Ootani Universidade Federal do Ceará, UFC

Resumo

O objetivo do trabalho foi avaliar a ação fungicida in vitro e in vivo de diferentes extratos vegetais hidroalcóolicos no controle de Fusarium pallidoroseum em frutos de meloeiro. No ensaio in vitro cada extrato foi testado nas concentrações de 0,0; 0,05; 0,10; 0,15; 0,20 e 0,25 mL mL-1, ou seja, 0; 5; 10; 15; 20 e 25% respectivamente de cada extrato por mL de meio de cultura. O experimento foi conduzido sob condições controladas a 28 ± 2ºC e fotoperíodo de 12 h, em delineamento inteiramente casualizado em esquema fatorial 10×5, ou seja, extratos hidroalcoólicos de dez espécies vegetais testados em cinco concentrações, onde cada tratamento apresentou cinco repetições. Foram avaliados o percentual de inibição e o índice de crescimento micelial do patógeno, assim como a concentração inibitória do crescimento micelial a 50% de cada tratamento. No ensaio in vivo foram utilizados frutos de meloeiro inoculados e tratados com a concentração de 25% de cada extrato e mantidos sob condições de 28 ± 2 ºC e UR de 52 ± 2%. Os extratos de L. sidoides e S. aromaticus apresentaram-se como os mais eficazes nos testes in vitro, inibindo em 100% o crescimento do patógeno a partir da concentração de 0,10 mL mL-1. No teste in vivo, os extratos de O. gratissimum, L. sidoides e S. aromaticus na concentração de 0,25 mL mL-1 inibiram a doença em 100% até o 7º dia da inoculação.

Biografia do Autor

Ingrid Bernardo Lima Coutinho, Universidade Federal do Ceará, UFC

Engenheira Agrônoma; mestra em Agronomia/Fitotecnia/Floricultura e Plantas ornamentais; doutoranda em Agronomia/Fitotecnia/Fitomoléstias tropicais. Universidade Federal do Ceará.

Paulo Roberto Gagliard, Universidade Federal de Sergipe, UFS

Doutor em Agronomia - ESALQ/USP. Professor adjunto da Universidade Federal de Sergipe – Centro de Ciências Agrárias Aplicadas – Depto de Engenharia Agronômica.

Marcio Akio Ootani, Universidade Federal do Ceará, UFC

Mestre em Produção Vegetal/Fitossanidade; doutorando em Fitotecnia /Fitossanidade. Universidade Federal do Ceará.

Publicado
2015-07-31
Seção
Ciências Agrárias