DETERIORAÇÃO MICROBIOLÓGICA DE AMÊNDOAS DE CAJUEIRO: UM PROBLEMA DE DIFÍCIL SOLUÇÃO

  • Francisco das Chagas Oliveira Freire Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária, EMBRAPA

Resumo

No presente trabalho são apresentados os organismos envolvidos na deterioração de amêndoas de castanhas de cajueiro no Brasil. Um total de 83 espécies de fungos filamentosos, 17 espécies de bactérias e 1 espécie de levedura já foi confirmado. Dentre os fungos filamentosos as espécies de Aspergillus e de Penicillium têm sido isoladas com maior frequência. A despeito do elevado número de organismos isolados, as amêndoas de cajueiro são praticamente isentas de micotoxinas prejudiciais à saúde humana, especialmente de aflatoxinas. Os métodos já utilizados para reduzir a deterioração microbiológica, bem como sugestões para a utilização de novas medidas são discutidos, e também o modo como as amêndoas se tornam infectadas pelos organismos em condições de campo.
Publicado
2015-07-16
Seção
Ciências Agrárias