ANÁLISE DA INTEGRALIDADE DA ATENÇÃO À SAÚDE DA CRIANÇA A PARTIR DE ÓBITOS INFANTIS

  • Maria Lair Ponte Vasconcelos Secretaria de Saúde de Viçosa do Ceará
  • Francisco Rosemiro Guimarães Ximenes Neto Universidade Estadual Vale do Acaraú, UVA
  • Adriana Gomes Nogueira Ferreira Universidade Federal do Maranhão, UFMA

Resumo

O modelo político-organizativo do setor saúde no Brasil apresen-tou mudanças significativas a partir da 8ª Conferência Nacional de Saúde, com a implantação do Sistema Único de Saúde (SUS). A integralidade, princí-pio doutrinário do SUS, tem sido um eixo norteador para garantir a qualidade da atenção à saúde, quando colocada em prática, como na atenção à saúde da criança. Na Estratégia Saúde da Família (ESF), o cuidado à criança é um des-critor importante para avaliar a qualidade da atenção e, consequentemente, o princípio da integralidade, principalmente quando ocorrem óbitos infantis. Este estudo foi realizado no município de Viçosa do Ceará e objetiva analisar a integralidade da atenção à saúde em óbitos de crianças menores de um ano, a partir da percepção das mães. Trata-se de uma pesquisa exploratório-descritiva, com abordagem qualitativa, baseada em estudo de caso. As informações foram obtidas a partir de um formulário e de uma entrevista semiestruturada. Os resultados foram sistematizados a partir do fluxograma analisa-dor proposto por Merhy. Os resultados revelam que a integralidade da aten-ção está distante das práticas assistenciais vividas pela população brasileira, sendo necessário buscar novos mecanismos que superem as dificuldades inerentes à nossa realidade, por meio de um melhor planejamento, organização e avaliação dos serviços de saúde por parte dos gestores.
Publicado
2014-12-14
Seção
CIências da Saúde