A EXPERIÊNCIA DA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA ATRAVÉS DO CURSO SEMIPRESENCIAL DE PRÁTICAS LABORATORIAIS DE BIOLOGIA

  • Johnny Ferreira de Oliveira Universidade Estadual Vale do Acaraú
  • Welesson Portela de Aguiar Universidade Estadual Vale do Acaraú
  • Lucilene Silva Pereira Soares Universidade Estadual Vale do Acaraú

Resumo

O avanço tecnológico tornou possível o surgimento de novas abordagens nas formas de ensino, entre os quais, a Educação a Distância, que vem crescendo junto ao desenvolvimento e uso das tecnologias de informação e comunicação. Nesse sentido, instituições de ensino vêm aderindo a essa modalidade, visando à inovação e melhoria das suas práticas metodológicas. Assim, o presente estudo objetivou analisar a percepção dos estudantes sobre a importância das práticas metodológicas aplicadas na Educação a Distância para o ensino de Biologia, no curso oferecido pelo Centro de Educação a Distância do Ceará (CED) em parceria com o Instituto UFC virtual. O curso foi destinado a alunos do Ensino Médio, com a proposta de potencializar o acesso ao ensino de qualidade, contribuindo para o aprendizado em Biologia a partir de atividades práticas laboratoriais. Utilizou-se como metodologia estudo de caso, com pesquisa bibliográfica, de abordagem qualitativa e caráter descritivo. Para coleta de dados, utilizou-se um questionário semiestruturado, aplicado a uma população de 50 alunos, dos quais se utilizou 32 para amostragem do estudo. Os resultados mostraram que a metodologia aplicada no curso se mostrou eficiente, com aulas dinâmicas e inovadoras. Apontou, ainda, a modalidade de Educação a Distancia como um forte fator para atrair os estudantes, pela facilidade de acesso às informações. Evidenciou-se o importante papel do professor/orientador nesse tipo de modalidade, como mediador da aprendizagem. O curso proporcionou o contato direto com atividades práticas em laboratório, revelando que esse tipo de atividade ainda é pouco presente no cotidiano escolar.

Referências

ALOISE, A.F. Um sistema de recomendação para professores e coordenadores de curso utilizando predição de reprovação na modalidade de educação a distância. 2016. < Disponível em: <http://www.repositorio.jesuita.org.br/hand>. Acesso: 23 set 2016.

AMARILLA FILHO, P. Educação a Distância: uma abordagem metodológica e didática a partir dos ambientes virtuais. Educação em Revista, Belo Horizonte, v 27, n 02, p 41-72, ago. 2011. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/edur/v27n2/a04v2 >.Acesso em: 02 jun 2016.

ARAÚJO, E.M; NETO, J. D; CAZARINI, E.W.; OLIVEIRA, S.R.M. A gestão da inovação na educação a distância. Gestão & Produção, v. 20, n. 3, p. 639-651, 2013.

BEREZUK, P.A; INADA, P. Avaliação dos laboratórios de ciências e biologia das escolas públicas e particulares de Maringá. Acta Scientiarum. Human and Social Sciences, v. 32, n. 2, p. 207-215, 2010.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Média e Tecnológica (SEMTEC). Parâmetros Curriculares Nacionais para o Ensino Médio: Ciências da Natureza, Matemática e suas Tecnologias. Brasília: MEC/SEF, 2000. 58p. http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/ciencia.pdf >. Acesso em: 21 jun 2016.

BUSATO, I.R.H. Desenvolvimento de metodologia adequada à disciplina de biologia, que permita uma diminuição da visão fragmentada do saber e contemple uma visão mais integrada e holística. Dissertação Mestrado. Universidade Federal de Santa Catarina. 2001. < Disponível em: https://repositorio.ufsc.br/handle >. Acesso: 23 set 2016.

CERVO, A.L.B; ALCINO, P. Metodologia científica. 7a ed. São Paulo: Makron books, 2007.

LABARCE, E.C. Ensino de Biologia e o Desenvolvimento de Habilidades Cognitivas por Meio de Atividades Práticas e Contextualizadas. Tese de Mestrado. Unesp, Bauru, 2009. < em: http://repositorio.unesp.br/ >. Acesso: 21 jun 2016.

MALAFAIA, G; BÁRBARA, V.F; RODRIGUES, A.S.L. Análise das concepções e opiniões de discentes sobre o ensino da biologia. Revista Eletrônica de Educação, v. 4, n. 2, p. 165-182, 2010.

MASSABNI, V.G; ANDRADE, M.L.F.. O desenvolvimento de atividades práticas na escola: um desafio para os professores de ciências. Ciênc. educ. (Bauru), Bauru, v. 17, n. 4, p. 835-854, 2011.Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php >. Acesso em: 26 jun 2016.

MINAYO, M.C.S. Pesquisa social: teoria, método e criatividade. Rio de Janeiro: Vozes, 2011.

MONTEIRO, L. A internet como meio de comunicação: possibilidades e limitações. In: Congresso Brasileiro de Comunicação. 2001, Campo Grande - MS, Anais eletrônicos....Campo Grande: Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação. Disponível em: <http://www.intercom.org.br/papers/nacionais/2001/papers/NP8MONTEIRO.PDF > . Acesso em: 26 jun 2016.

ROSA, M.; MALTEMPI, M. V. A avaliação vista sob o aspecto da educação a distância. Ensaio: avaliação e políticas públicas em educação, Rio de Janeiro, v. 14, n. 50, 2006. < Disponível em: http://www.scielo.br >. Acesso em: 02.06.2016.

SILVA, A.C. Educação e tecnologia: entre o discurso e a prática. Ensaio: Aval. pol. públ. Educ., Rio de Janeiro, v. 19, n. 72, p. 527-554, jul./set. 2011.

UWE, F. Uma introdução à pesquisa qualitativa. 3o edição, Porto Alegre: Artmed, 2009.

Publicado
2017-11-06
Seção
Ciências da Educação