PRODUÇÃO DE BIOMASSA DE INFLORESCÊNCIAS EM FUNÇÃO DE ESPAÇAMENTOS E ADUBAÇÃO ORGÂNICA COM JUMBU ( ACMELLA OLERACEA – ASTERACEAE)

  • Maria Auxiliadora Silva Oliveira professora do Instituto Superior de Teologia Aplicada - INTA; servidora da Universidade Federal do Ceara - UFC.
  • Renato Innecco Innecco professor do Departamento de Fitotecnia da Universidade Federal do Ceara - UFC.

Resumo

Objetivou-se neste experimento determinar o (s) melhor (es) espaçamento (s) entre plantas e o (s) melhor (es) nível (is) de adubação orgânica para o cultivo de A. oleracea que garantam maior produção de biomassa de capítulos florais em nível de campo. Os tratamentos foram arranjados em esquema fatorial 4 x 3, utilizando-se quatro níveis de adubo orgânico (0; 2; 4 e 8 Kg.m-2), combinados com três espaços entre plantas e entre as fileiras (1,0 x 1,0 m – E1; 1,0 x 5,0 m – E2 e 0,5 x 0,5 m – E3). Utilizou-se o delineamento em blocos ao acaso, com parcelas subdivididas e com quatro repetições. As variáveis analisadas foram: produtividade de matéria fresca (Kg.ha-1) e produtividade de matéria seca (Kg.ha-1). A maior produção dos capítulos florais, representado pelo peso da matéria fresca e seca, foi garantido pelo tratamento E3. Os tratamentos E1 e E2 foram inferiores, porém não diferindo estatisticamente entre si. As variáveis peso da matéria fresca e peso da matéria seca dos capítulos florais, no tratamento níveis de adubação orgânica, mostraram comportamento representado por uma curva quadrática (R2= 0,9406 e R2= 0,9983 respectivamente). Houve um ponto de máxima na adubação de 04 Kg.m-2 com queda no peso tanto de matéria fresca quanto da matéria seca após essa quantidade, indicando que deve-se utilizar 40 t de adubo orgânico por hectare de cultivo para obtenção de maior produtividade de capítulos florais de jambu.

Referências

ANDRADE, F. M. C. de; CASALI, V. W. D. Plantas medicinais e aromáticas: relação

com o ambiente, colheita e metabolismo secundário. Viçosa: UFV, 1999.

ALZUGARAY, D.; ALZUGARAY, C. Plantas que curam - Vol.1. São Paulo: Grupo de

Comunicação Três S/A, 1996.

BLANK A. F. et al. Influência de espaçamento, doses de biofertilizante e colheitas na

produção de biomassa de capim-limão (Cymbopogon citratus (D.C.) Stapf - Poaceae). In: 43o Congresso Brasileiro de Olericultura, Resumos... Recife: Associação Brasileira deHorticultura, 2003.

BRAGA, R. Plantas do Nordeste, especialmente do Ceara. 3. ed. Mossoró: ESAM. 1976. (ESAM. Coleção Mossoroense, v. 42).

GOMES JÚNIOR, J. et al. Crescimento e produtividade de tomateiros do grupo cereja em função da aplicação de biofertilizante líquido e fungo micorrízico arbuscular. In: Revista Brasileira de Ciências Agrárias, v. 6, n. 4, p. 627-633, 2011.

IPECE, Instituto de Pesquisa e Estratégia Econômica do Estado. Perfil Básico

Municipal 2011 – Pentecoste - CE. Fortaleza: IPECE, 2011.

JEFFREY, C. Compositae. Introducion with Keys to tribes. In: Kadereit, J.W. & Jeffrey, C. (Eds.). The families and genera of vascular plants (K. Kubitzki series editor), vol.

VIII. Flowering plants: Eudicots: Asterales. Springer, Berlin. p. 61-77, 2007.

LARCHER, W. Ecofisiologia vegetal. São Carlos: Rima-Artese Textos, 2000.

LORENZI, H. E.; MATOS, F. J. A. Plantas medicinais do Brasil. Nativas e exóticas.

Nova Odessa: Instituto Plantarum, 2002.

MAIA, S. S. S. et al. Influência da adubação orgânica e mineral no cultivo do bamburral

(Hyptis suaveolens (L.) Poit.) (Lamiaceae). In: Revista Brasileira de Ciências Agrárias, v. 3, n. 4, p. 327-331, 2008.

MARTINS, E. R.; CASTRO, D. M. de; CASTELLANI, D. C.; DIAS, J. E. Plantas

medicinais. Viçosa: UFV, 2000.

MINAMI, K. et al. Efeito do espaçamento sobre a produção em rabanete. In: Bragantia, v. 57, n. 1, p. 169-76, 1998.

MORAIS, L. A. S. de; MARQUES, M. O. M.; MING, L. C.; MEIRELES, M. A. A.

Influência da adubação sobre a produção de biomassa e no teor de óleo essencialdo elixir paregórico. In: Horticultura Brasileira, v. 20, n. 2, p. 363, jul. 2002.

MUNARIN, E. E. O. et al. Espaçamentos entre plantas e cobertura do solo com cama-de-frango na produção da bardana (Arctium lappa L.). In: Revista Brasileira de Plantas Medicinais, Botucatu, v. 12, n. 2, p. 141-148, 2010.

PANERO, J. L. & FUNK, V. A. The value of sampling anomaluos taxa in phylogenetic

studies: major clades of the Asteraceae revealed. In: Molecular Phylogenetics and

Evolution, v. 47, p. 757-782, 2008.

PRIMO, D. C. et al. Contribuição da adubação orgânica na absorção de nutrientes e na

produtividade de milho no semiárido paraibano. In: Revista Brasileira de Ciências

Agrárias, v. 7, n. 1, p. 81-88, 2012.

SAITO, M. L.; SCRAMIN, S. Plantas aromáticas e seu uso na agricultura. Jaguariúna:

Embrapa Meio Ambiente, 2000.

SANTOS, M. R. A. dos. Estudos agronômicos e botânicos de erva-cidreira

(quimiotipo limoneno-carvona). 2003. 62p. Tese (Doutorado em Agronomia Fitotecnia)

– Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2003.

SCHEFFER, M. C.; RONZELLI JÚNIOR, P. Influência de diferentes níveis de adubação

orgânica sobre a biomassa e o teor de óleo essencial da Achillea millefolium L. (mil folhas). In: Horticultura Brasileira, vol. 9, n. 1, p. 57, 1991.

SENA, M. R.; MENDES, A. D. R.; MARTINS, E. R. Produção de biomassa, teores de

flavonóides e óleo essencial em mentrasto (Ageratum conyzoide L.) em função da adubação orgânica. In: Simpósio Brasileiro de Óleos Essenciais; 2003. Campinas. Anais...Campinas: Instituto Agronômico, 2003.

TAIZ, L.; ZEIGER, E. Fisiologia vegetal. 4 a ed. Porto Alegre: Artmed, 2009.

VALADARES, S. V. et al. Adubação orgânica de calêndula (Calendula officinalis L.)

produzida sobre grama batatais. In: Revista Biotemas, v. 23, n. 3, p. 21-24, 2010.

Publicado
2016-03-30
Seção
Ciências Agrárias