RISCO DE SUICÍDIO EM USUÁRIOS DE SUBSTÂNCIAS PSICOATIVAS: UMA REVISÃO INTEGRATIVA.

Resumo

Analisar as publicações nacionais acerca do risco de suicídio atrelado a usuários de substâncias psicoativas. Trata-se de uma revisão integrativa, realizadas na base de dados: Literatura Latino-Americana e do Caribe em Ciências da Saúde (LILACS) e na Base de Dados de Enfermagem (BDENF). Utilizaram-se os Descritores em Ciências da Saúde (DECS): risco, suicídio e transtornos relacionados ao uso de substâncias. Selecionaram-se artigos completos, em português, dos anos de 2010 a 2019, excluindo os artigos duplicados e os que não atendiam à pergunta norteadora, totalizando cinco artigos. A partir da análise dos artigos, evidenciou-se um nível elevado de risco de suicídio entre usuários de substâncias. Observou-se que a maioria era do sexo masculino, solteiros, com ensino fundamental incompleto. Dentre os principais fatores de risco, surgiu o sentimento de desesperança, ausência de apoio social/familiar, estigma e transtorno mental. Nos fatores protetivos, apontou-se a espiritualidade, apoio de redes sociais, atividades de trabalho ou escola, continuidade de tratamento dos transtornos mentais ou físicos e medo da morte devido à dor. Pode-se observar, portanto, uma relação direta entre essas duas problemáticas, sendo necessário de que políticas de saúde sejam pensadas para se tentar minimizar os riscos associados, assim como a importância da realização de mais estudos direcionados à temática.

Publicado
2020-12-09
Seção
CIências da Saúde