ESTRATÉGIAS PARA MAIOR ADESÃO DOS IDOSOS EM GRUPO DE CONVIVÊNCIA

Resumo

Objetivou-se descrever a elaboração de estratégias para maior adesão dos idosos em grupos de convivência, a partir da vivência extensionista dos estudantes de enfermagem. Estudo descritivo de abordagem qualitativa, do tipo relato de experiência, realizado em Sobral-CE no período de agosto a setembro de 2018. As experiências ocorreram durante as ações de extensão de um módulo do sexto semestre do Curso de Enfermagem da Universidade Estadual Vale do Acaraú, no grupo de convivência de idosos. A coleta das informações deu-se por meio da observação participante e diário de campo. Utilizou-se a Teoria de Intervenção Práxica da Enfermagem em Saúde Coletiva para desenvolvimento da experiência e análise das informações. Os resultados foram organizados e discutidos mediante as seguintes categorias: “Diagnóstico situacional do grupo”; Elaboração e execução das estratégias de adesão”; e “Avaliação da intervenção”. Entre as estratégias elaboradas, identificou-se a busca ativa, descentralização das atividades e o uso de metodologias ativas, como potentes para aumentar o número de participantes e fomentar o desejo de pertencimento do grupo. Além disso, a experiência contribuiu na formação dos estudantes, pois favoreceu maior aproximação com a comunidade e possibilitou o desenvolvimento da capacidade de análise e intervenção de uma realidade, preparando-os para o futuro profissional.

Descritores: Relações comunidade-instituição; Saúde do idoso; Educação em enfermagem.

 

Biografia do Autor

Marina Pereira Moita, Universidade Estadual Vale do Acaraú

Graduanda em Enfermagem pela Universidade Estadual Vale do Acaraú. Membro do Laboratório de Pesquisa Social, Educação Transformadora e Saúde Coletiva (LABSUS). 

Mariana Bomfim de Araújo, Universidade Estadual Vale do Acaraú (UVA).

Graduanda em Enfermagem. Universidade Estadual Vale do Acaraú (UVA).

Maria Gabrieli Aguiar de Sousa , Universidade Estadual Vale do Acaraú (UVA).

Graduanda em Enfermagem. Universidade Estadual Vale do Acaraú (UVA).

Lucilene Ferreira da Cruz, Universidade Estadual Vale do Acaraú (UVA).

Acadêmica de Enfermagem da Universidade Estadual Vale do Acaraú (UVA).

Andréa Carvalho Araújo Moreira, Universidade Estadual Vale do Acaraú (UVA).

Doutora em Enfermagem pela Universidade Federal do Ceará (UFC). Docente do curso de Enfermagem da Universidade Estadual Vale do Acaraú (UVA).

Cibelly Aliny Siqueira Lima Freitas, Universidade Estadual Vale do Acaraú (UVA).

Doutora em Enfermagem pela Universidade Federal do Ceará (UFC). Docente do curso de Enfermagem da Universidade Estadual Vale do Acaraú (UVA).

Publicado
2020-07-04
Seção
Ciências da Saúde (Ênfase em Enfermagem)