COMPROMETIMENTO DOS PROFISSIONAIS DE ENFERMAGEM COM A SEGURANÇA DO PACIENTE

Resumo

A segurança do paciente envolve as atitudes dos profissionais, da gestão, dos usuários, dos familiares e da própria organização na prestação de cuidados em saúde, por meio de ações de corresponsabilização e autonomia. Objetivou-se identificar o comprometimento dos profissionais de enfermagem com a segurança do paciente no âmbito da Atenção Primária à Saúde. Estudo descritivo, exploratório, com abordagem qualitativa, realizado em seis Centros de Saúde da Família do município de Sobral (CE), com a participação de 18 profissionais. Evidenciou-se que o compartilhamento de situações de incidentes e suas possíveis soluções são atribuídas à gerência, por meio de reuniões semanais. Observou-se falhas de comunicação entre os profissionais durante o processo de trabalho. Contudo, a gestão buscou antecipar-se na prevenção de erros no serviço, por meio do reconhecimento prévio de riscos e respostas rápidas diante das ocorrências. Os profissionais de enfermagem necessitam qualificar suas ações diante de situações errôneas e inseguras para o paciente, por meio da construção de uma cultura de segurança que englobe atitudes, responsabilização coletiva, comunicação efetiva, um ambiente não punitivo e o suporte das lideranças.

Biografia do Autor

Karina Oliveira de Mesquita, Escola de Saúde Pública Visconde de Saboia em Sobral (CE), Brasil

Enfermeira. Mestre em Saúde da Família pela Universidade Federal do Ceará (UFC). Docente da Escola de Saúde Pública Visconde de Saboia em Sobral (CE), Brasil.

Roberta Cavalcante Muniz Lira, Universidade Federal do Ceará (UFC)

Enfermeira. Doutora em Saúde Pública pela Universidade de São Paulo (USP). Professora efetiva do Curso de Medicina da Universidade Federal do Ceará (UFC) em Sobral (CE), Brasil.

Geison Vasconcelos Lira, Universidade Federal do Ceará (UFC)

Médico. Doutor em Educação pela Universidade Federal do Ceará (UFC). Professor Adjunto do Curso de Medicina da Universidade Federal do Ceará (UFC) em Sobral (CE), Brasil.

Cibelly Aliny Siqueira Lima Freitas, Universidade Estadual Vale do Acaraú

Enfermeira. Doutora em Enfermagem na Promoção da Saúde pela Universidade Federal do Ceará (UFC). Pós-Doutorado em Enfermagem na Universidade Federal do Paraná (UFPR). Professora do Curso de Enfermagem da Universidade Estadual Vale do Acaraú (UVA).

Letícia Costa de Araújo, Universidade Estadual Vale do Acaraú

Acadêmica de Enfermagem pela Universidade Estadual Vale do Acaraú (UVA) em Sobral (CE), Brasil.

Marise Reis de Freitas, Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN).

Médica. Doutora em Infectologia pela Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Professora Associada do Departamento de Infectologia da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN).

Publicado
2020-12-23
Seção
CIências da Saúde